Histórico

A Cinemateca Brasileira teve sua origem no início da década de 40, quando Paulo Emílio Sales Gomes, um historiador, professor e critico de cinema, junto com Décio de Almeida Prado, professor universitário e critico de teatro, e  Antonio Candido de Mello e Souza sociólogo, critico literário e professor universitário criaram o primeiro clube de cinema de São Paulo. O clube tinha como objetivo realizar projeções e propor analises e debates sobre a sétima arte. Cerca de um ano após sua criação o clube tem suas atividades encerradas por conta de repressão militar da época, a ditadura do Estado Novo, que vigorou de 1937 à 1945.

Passado o período da Era Vargas, em 1946,  um grupo formado por profissionais do audiovisual e literatura composto por Francisco Luiz de Almeida Salles, Rubem Biáfora, Múcio Porphyrio Ferreira, Benedito Junqueira Duarte, João de Araújo Nabuco, Lourival Gomes Machado e Tito Batini, criou o segundo clube de cinema da cidade de São Paulo. Alguns anos depois, o clube firmou parceria com o Museu de Arte Moderna de São Paulo, com a função de criar uma filmoteca para o museu, o acordo durou até 1956, quando foi criada oficialmente a Cinemateca Brasileira.

Com dificuldades financeiras e incêndios que comprometeram boa parte de seu acervo, a equipe da Cinemateca Brasileira teve uma série de obstáculos para prosseguir com o projeto. Em 1988 Jânio Quadros, o prefeito da época, cedeu à instituição as instalações de onde havia funcionado o Matadouro Municipal de São Paulo. Após nove anos de reforma a Cinemateca Brasileira é estabelecida no local na Vila Clementino e as instalações são tombadas pelo Condephaat e pelo Conpresp.

Em 2018, o Ministério da Educação e o Ministério da Cultura estabelecem um acordo com duração de três anos, passando a administração integral da Cinemateca Brasileira para o Acerp, uma organização social que presta serviços para o MinC.

O Trabalho da Cinemateca Brasileira

A Cinemateca Brasileira possui o importante papel de preservar e divulgar as produções audiovisuais brasileiras. Seu acervo é o maior da América-Latina e é composto por rolos de filmes, fotos, cartazes, roteiros e livros.

Sua sede conta com 3 espaços para exibição de filmes, a Sala Cinemateca/Petrobras, a Sala Cinemateca/BNDES e a área externa. Ao público a Cinemateca Brasileira oferece uma programação com exibição de filmes, palestras e debates sobre temas relacionados ao mercado do audiovisual nacional e internacional, além de contar com uma biblioteca disponível para visitas de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h e da possibilidade de realizar visitas monitoradas pelas instalações, mediante agendamento prévio através do site.

Área de Exibição Externa Cinemateca Brasileira

 

Fonte: cinemateca.org.br