Revista do cinema brasileiro

Dedicado aos amantes de cinema.

Cinemas drive-in retornam como opção na quarentena

A quarentena recomendada por conta do novo coronavírus afetou diversos setores.  Pensando em alternativas para o retorno seguro da população às ruas, o cinema em estilo drive-in, bastante conhecido em produções internacionais, reaparece como uma alternativa para o retorno aos cinemas.

Neste mês de junho, a cidade de São Paulo ganhou três espaços com estrutura para operar. Contando com telão, pátio amplo para os carros, restaurantes e sanitários, os cinemas apresentam diversos títulos do cinema nacional e internacional.

Como medidas de segurança, alguns protocolos são adotados, como por exemplo, a compra dos ingressos é feita online, é permitida a entrada de carros com no máximo 4 ocupantes, durante a sessão, é necessário solicitar via aplicativo, pedidos de lanches e bebidas ou para ir ao banheiro, sendo necessário o uso de máscara apenas nesses momentos.

Outras cidades pelo Brasil que estão se interessaram por esse formato são o Rio de Janeiro, com uma unidade aberta ao público desde o dia 18/06. O cinema na região da Barra exibe filmes infantis em horário de matinê e clássicos do cinema no horário principal da noite. Em Recife, a expectativa é pela estreia do cinema drive-in na cidade no próximo dia 16 de julho, o local será utilizado para a exibição de filmes, shows e palestras.

Cinema Internacional: Massagem Cega (2014)

Com o título original “Tui Na”, o longa-metragem do diretor chinês Lou Ye, conta a história de Ma, um jovem que perdeu a visão durante a infância, por conta de um acidente. Com o passar dos anos, seus outros sentidos como a audição se tornam bem aguçados, mas as limitações causam muitas angustias no jovem que por alguns momentos sofre com sua condição.

Ma cresce com um tipo de revolta que se reflete em seu jeito rebelde. Além disso, o desejo por encontrar uma pessoal especial e se sentir amado aumenta suas frustrações, por conta do medo de não encontrar alguém que o ame.

As coisas começam a mudar para o jovem quando ele ingressa em uma escola de massagens tradicionais em uma turma com outros deficientes visuais. Durante o aprendizado, Ma encontra no grupo pessoas que passam pelas mesmas dificuldades e se aproxima cada vez mais de seus colegas. O jovem também passa a ter mais confiança, ao perceber que suas limitações não o impedirão de ter uma vida produtiva.

O filme é de 2014 e foi baseado em um premiado livro com o mesmo título. Além dos temas principais, o filme apresenta para o público do ocidente, um pouco mais sobre o estilo de vida na China e a importância de elementos culturais antigos, como a própria massagem Tui Ná.

 

Brasil – A Nova Terra Retratada nos Cinemas

O dia 22 de abril de 1500 marca o descobrimento do Brasil pelos portugueses. A já conhecida história do grupo liderado por Pedro Álvares Cabral que saiu rumo às Índias e acabou desembarcando na América do Sul é tema para produções nacionais de diversos estilos: animações, comédias, documentários entre outros estilos narram de formas diferentes, o período em que o grupo de europeus encontrou uma terra de solo fértil, clima tropical, biodiversidade e habitada por grupos indígenas. Confira aluns títulos do cinema brasileiro que contam sua versão dessa história:

“O Descobrimento do Brasil” (1936)

O Filme do diretor Humberto Mauro narra à partir da saída das tropas de Cabral rumo às Índias, os prováveis acontecimentos que antecederam o descobrimento do Brasil pelos portugueses. A trilha sonora original é de Heitor Vila-Lobos e o filme foi produzido com o apoio do governo federal da época. A produção do longa teve algum cuidado com a fidelidade aos fatos e inclusive cita trechos da carta de Pero Vaz de Caminha e apresenta como teria sido a primeira missa em solo brasileiro.

“Caramuru, a Invenção do Brasil” (2001)

O filme dirigido por Guel Arraes, conta a história de Diogo Álvares, único sobrevivente de um naufrágio por volta de 1510, sua história é repleta de mitos e fatos que não se podem confirmar, mas há um consenso sobre a importância do português no estabelecimento de negociações entre os indígenas brasileiros e os europeus. Diogo Álvares foi acolhido pelo povo Tupinambá que o batizou como Caramuru, Diogo casou-se com Paraguaçu uma das filhas do líder da tribo. O filme utiliza do tom bem-humorado para retratar alguns acontecimentos e costumes da época como o modo de vida nas tribos e a poligamia.

“Desmundo” (2003)

Em Desmundo, a história se passa por volta de 1570, período em que a colonização portuguesa já havia avançado consideravelmente. O filme aborda diversos tema relevantes na construção do Brasil que conhecemos hoje, o tema do filme relata o período em que a coroa portuguesa enviava moças órfãs para o Brasil com o objetivo de arranjar casamentos entre elas e os colonizadores portugueses, tentando diminuir o número de casamentos dos portugueses com as índias brasileiras e o número de filhos desses relacionamentos. A produção é dirigida pelo francês Alain Fresnot e um fato curioso é de que os diálogos são em português arcaico.

Mazzaropi

Amácio Mazzaropi é sem dúvidas, um importante nome do cinema Brasileiro. O paulistano, nascido no bairro Santa Cecília, começou cedo no mundo das artes, quando aos 14 anos, saiu da casa do pai para acompanhar a trupe circense La Paz.  Já nessa fase do circo, Mazzaropi começou a interpretar personagens com trejeitos e falas típicas dos “caipiras” brasileiros. Em 1946, Mazzaropi passou a compor o elenco do programa “Rancho Alegre”, transmitido pela Rádio Tupi, do Rio de Janeiro.

No início dos anos 50, Mazzaropi estreou nos cinemas interpretando o personagem Isidoro Colepicola em “Sai da frente”.  Produzido pelos estúdios Vera Cruz, onde Mazzaropi ainda participou de outros filmes como “Nadando em dinheiro” e “Candinho”. Por problemas financeiros, em 1957, a Produtora Vera Cruz encerrou suas atividades.

Mantendo sua paixão pelo cinema viva, Mazzaropi reuniu os próprios recursos pra criar em 1958, a “Produções Amácio Mazzaropi – Pam Filmes”, uma produtora independente que no mesmo ano lançou “Chofer de praça”, protagonizado por Mazzaropi. Depois desse, o artista produziu e estrelou diversos outros títulos, sempre mostrando com bom humor a simplicidade do “jeca”. Amácio Mazzaropi faleceu em junho de 1981 na cidade de São Paulo, vítima de um câncer na medula. Mazzaropi foi enterrado no interior de São Paulo, na cidade de Pindamonhangaba. Em seu legado, o ator e empresário do audiovisual, deixou o trabalho realizado na criação da Pam – Filmes e um currículo com 34 títulos.

 

A Estreia do Brasil no Oscar

O Cinema Brasileiro possui entre animações, documentários, curtas e longas-metragens, produções de alta qualidade e clássicos na história do cinema nacional e internacional. Apesar de ainda não ter ganho uma estatueta no Oscar, a primeira indicação ao trabalho de um brasileiro aconteceu em 1945. Concorrendo na categoria de melhor canção com “Rio de Janeiro” composta pelo brasileiro Ary Barroso e o compositor norte-americano Ned Washington, a música era um dos temas no musical “Brazil” de 1944. O longa foi dirigido pelo norte-americano Joseph Stanley e produzido pela Republic Pictures.

A composição vencedora na categoria de melhor canção foi “Swinging on a Star” de Jimmy Van Heusen e Johnny Burke. Ainda assim, a indicação do trabalho de um brasileiro marcou a história da música e do cinema nacional. Anos depois outros artistas brasileiros tiveram indicações como na categoria de melhor filme estrangeiro, com “O Pagador de Promessas”, de Anselmo Duarte, em 1963 e com “O Quatrilho” , de Fábio Barreto em 1996, “O Que É Isso, Companheiro?”, de Bruno Barreto em 1998, e Central do Brasil, de Walter Salles em 1999. Na edição do Oscar 2020, “Democracia em Vertigem” representou o Brasil, concorrendo pela categoria de melhor documentário, vencida por “Indústria Americana”.

Mercado do Audiovisual é Afetado pelo COVID-19 no Brasil e no Mundo

A Pandemia do novo coronavírus afetou a rotina e o planejamento de diversas empresas e profissionais para o ano de 2020. Além da preocupação evidente com a saúde de todos, especialmente da parcela da população que se enquadra no grupo de risco, diversos eventos como lançamento de filmes e premiações foram adiados, com o objetivo de seguir a recomendação de evitar aglomerações.

Alguns que tiveram sua data modificada são:

Oscar de Bollywood – a versão indiana de Hollywood teria sua noite de premiações programada para o dia 27 de março, com o risco da propagação do vírus na Índia, um dos países mais populosos do mundo, o evento teve que ser adiado e por enquanto, a organização do evento ainda não divulgou nova data.

Lançamento do filme que narra a história e Suzane Von Richthofen – Um dos lançamentos do cinema brasileiro previsto para esse ano conta a chocante história da jovem que planejou o assassinato dos próprios pais. Com data de lançamento prevista para 02 de abril, os produtores do filme optaram pelo adiamento do lançamento que segundo eles, será agendado para uma nova data, ainda este ano.

Cinema internacional – diversas produções do cinema mundial tiveram suas datas de lançamento adiadas, entre eles ‘007 – Sem tempo para morrer’, ‘Velozes e furiosos 9’, ‘Mulan’, ‘Novos mutantes’ e ‘Espíritos obscuros’. Além disso, a gravação de filmes, séries e novelas no Brasil e no mundo tiveram suas gravações suspensas, prezando pela saúde do elenco e equipe de produção.

A expectativa é de que em semanas a rotina em diversos setores, incluindo o audiovisual retorne gradativamente às atividades, produzindo e lançando para o grande público obras aguardadas entre seus fãs.

Cinemateca Brasileira

Histórico

A Cinemateca Brasileira teve sua origem no início da década de 40, quando Paulo Emílio Sales Gomes, um historiador, professor e critico de cinema, junto com Décio de Almeida Prado, professor universitário e critico de teatro, e  Antonio Candido de Mello e Souza sociólogo, critico literário e professor universitário criaram o primeiro clube de cinema de São Paulo. O clube tinha como objetivo realizar projeções e propor analises e debates sobre a sétima arte. Cerca de um ano após sua criação o clube tem suas atividades encerradas por conta de repressão militar da época, a ditadura do Estado Novo, que vigorou de 1937 à 1945.

Passado o período da Era Vargas, em 1946,  um grupo formado por profissionais do audiovisual e literatura composto por Francisco Luiz de Almeida Salles, Rubem Biáfora, Múcio Porphyrio Ferreira, Benedito Junqueira Duarte, João de Araújo Nabuco, Lourival Gomes Machado e Tito Batini, criou o segundo clube de cinema da cidade de São Paulo. Alguns anos depois, o clube firmou parceria com o Museu de Arte Moderna de São Paulo, com a função de criar uma filmoteca para o museu, o acordo durou até 1956, quando foi criada oficialmente a Cinemateca Brasileira.

Com dificuldades financeiras e incêndios que comprometeram boa parte de seu acervo, a equipe da Cinemateca Brasileira teve uma série de obstáculos para prosseguir com o projeto. Em 1988 Jânio Quadros, o prefeito da época, cedeu à instituição as instalações de onde havia funcionado o Matadouro Municipal de São Paulo. Após nove anos de reforma a Cinemateca Brasileira é estabelecida no local na Vila Clementino e as instalações são tombadas pelo Condephaat e pelo Conpresp.

Em 2018, o Ministério da Educação e o Ministério da Cultura estabelecem um acordo com duração de três anos, passando a administração integral da Cinemateca Brasileira para o Acerp, uma organização social que presta serviços para o MinC.

O Trabalho da Cinemateca Brasileira

A Cinemateca Brasileira possui o importante papel de preservar e divulgar as produções audiovisuais brasileiras. Seu acervo é o maior da América-Latina e é composto por rolos de filmes, fotos, cartazes, roteiros e livros.

Sua sede conta com 3 espaços para exibição de filmes, a Sala Cinemateca/Petrobras, a Sala Cinemateca/BNDES e a área externa. Ao público a Cinemateca Brasileira oferece uma programação com exibição de filmes, palestras e debates sobre temas relacionados ao mercado do audiovisual nacional e internacional, além de contar com uma biblioteca disponível para visitas de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h e da possibilidade de realizar visitas monitoradas pelas instalações, mediante agendamento prévio através do site.

Área de Exibição Externa Cinemateca Brasileira

 

Fonte: cinemateca.org.br

Cinemateca Brasileira – Vídeo

Fonte: Band Jornalismo

Vila Mariana

Umas das maiores cidades do mundo, está localizada no Brasil, esta cidade é São Paulo, a capital da América Latina para negócios, turismos, lazer, entretenimento, compras e cultura. São Paulo é uma cidade incrível, que possui uma diversidade cultural admirável. São Paul oferece muitos serviços de qualidade, atraindo milhares de pessoas de outras partes do Brasil e do mundo. Um bairro paulistano que concentra uma gama de serviços de muita qualidade, é o bairro da Vila Mariana, na zona sul da capital paulista, um lugar que oferece uma boa qualidade de vida a seus moradores e visitantes, é um bairro bastante conhecido por ter muitas árvores e pela tranquilidade das pessoas. O bairro Vila Mariana está bem próximo da Av. Paulista, um dos pontos financeiros e turísticos da cidade de São Paulo. O bairro é conhecido pela fácil mobilidade de acesso, principalmente para quem utiliza o transporte público, a região é atendida pelas Estações de Metrô Vila Mariana e Ana Rosa, e muitos moradores e visitantes diários, se locomovem por meio dos ônibus do Terminal Vila Mariana. Grandes instituições de ensino público e particular, também estão localizados na Vila Mariana, como a ESPM, Belas Artes, além de diversos colégios. A Vila Mariana também concentra muitas opções para práticas de atividades físicas, como academias e várias instituições que incentivam práticas esportivas. Um outro fato que deixa o bairro da Vila Mariana em evidência, é a diversidade de bares e restaurantes espalhados por todas as regiões do bairro, lugares muitos tradicionais, que estão sempre lotados, e que oferecem uma gastronomia variada e bem aprazível para todos os paladares, além de oferecem uma grande variedade de bebidas, para todos os gostos. Um lugar cultural bem interessante para e visitar no bairro da Vila Mariana, é a Cinemateca, que conta com um acervo enorme de filmes e possui atrações todas as semanas, para todas as idades. Outro fato que valoriza o bairro, é a grande variedade de centros comerciais, galerias, lojas e shoppings, que oferecem de tudo, desde de roupas, calçados, utensílios para o lar, pet shops, e o que mais você precisar, você encontra na Vila Mariana.

História das Artes

Com o passar dos anos, o ser humano foi construindo sua história e junto com ela nasceram os costumes e as culturas que possuímos até hoje.

A chamada “arte” pode ser definida como uma atividade humana que retrata certos acontecimentos e momentos históricos, até hoje a arte é considerada o melhor meio do ser humano expressar seus sentimentos e pensamentos.

As “artes” ou “Belas-artes” ganharam força no fim do século 18 na Europa, com isso a definição de artes plásticas começou a tomar forma.

Mas afinal, se o cinema é considerada a 7ª Arte, quais são as outras 6? Nessa postagem nós vamos te contar quais são elas.

O conceito também pode se referir a uma estilização expressiva de cores e modos, contudo, podemos dizer que as belas-artes são:

  • Dança
  • Escultura
  • Pintura
  • Música
  • Literatura
  • Teatro
  • Cinema

    Que você é um apaixonado por cinema nós já temos certeza, mas você já adotou alguma das outras “belas-artes” ao seu cotidiano?

    Conta aqui pra gente, estamos curiosos para saber.

Page 1 of 2

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén